Um mergulhador foi atacado por um tubarão na praia de Middle Keys, na Flórida. Andrew Charles Eddy, de 30 anos, foi mordido no ombro pelo que se acreditava ser um tubarão-touro enquanto ele e parentes mergulhavam no local.

De acordo com publicação do New York Post, ele foi salvo pela esposa, Margot Dukes-Eddy, que está grávida no entanto, não foi informado o período da gestação. Ela não pensou duas vezes em pular na água para salvar o marido ferido. “Ela viu o tubarão e o sangue na água e sem hesitação, mergulhou na água e puxou o marido para um lugar seguro no barco”, informou a polícia ao New York Post.

Testemunhas de outros barcos estavam mergulhando na área onde ocorreu o acidente, disseram às autoridades que avistaram um tubarão-touro naquela manhã, estimando que o peixe tenha 3 metros de comprimento.

O homem foi encaminhado para um hospital com uma lesão grave no ombro, no entanto, não se sabe a gravidade do machucado, uma vez que a família pediu por privacidade.

De acordo com o Arquivo Internacional de Ataques de Tubarão da Universidade da Flórida, o condado onde ocorreu o acidente, registrou 17 ataques acidentais de tubarão desde 1882. Em comparação, o condado de Volusia, no norte da Flórida - conhecido como "a capital mundial da mordida de tubarão" - teve 312.