A Prefeitura de Sorocaba está com o pagamento de repasses atrasado para a Santa Casa e para a Unidade Pré-Hospitalar (UPH) Zona Leste. O valor devido para o hospital e para a UPH é de pelo menos R$ 7 milhões, sendo R$ 4,5 milhões para a Santa Casa e R$ 2,5 milhões para a unidade de saúde. Ambos são referência na cidade para atendimento de pacientes com Covid-19. Só a Santa Casa conta com 40 leitos de UTI exclusivos para o atendimento de pacientes da cidade com suspeita ou confirmação da doença.

A Prefeitura de Sorocaba foi questionada a respeito e confirmou o atraso no valor de quase R$ 6,5 milhões. “São devidos R$ 1.755.814,69 e R$ 2.734.574,14 cujos vencimentos foram em 19 e 26 de junho, respectivamente. Ainda na data desta sexta-feira (10) outras duas notas estão vencendo, num total de R$ 1.990.587,75”, aponta.

PUBLICIDADE

De acordo com a Secretaria da Fazenda (Sefaz), os repasses ainda não foram feitos por falta de recursos e queda na arrecadação, devido à pandemia. E segundo a Prefeitura de Sorocaba, os valores repasses mensais para a UPH Zona Leste é R$ 2.347.730,61 e para a Santa Casa R$ 8.515.141,58.

A informação sobre o atraso no repasse dos pagamentos para o hospital e para a UPH foram divulgadas pelo gestor e presidente do Conselho de Administração da Irmandade Santa Casa de Sorocaba, Padre Flávio Jorge Miguel Júnior, durante uma reunião ocorrida nesta quinta-feira (9), na Câmara de Sorocaba.

Com o objetivo de discutir as estratégias de tratamento da Covid-19 e o atendimento de outras patologias durante o período de combate à pandemia do novo coronavírus, bem como repasses de recursos para o atendimento da área da saúde, a Câmara realizou uma reunião com os gestores dos hospitais conveniados que prestam serviço para o município.

Prefeitura atrasa recursos para a Santa Casa e UPH
Padre Flávio Jorge Miguel Júnior. Crédito da foto: Vinícius Fonseca / Arquivo JCS (11/2/2020)

Na ocasião, segundo a Câmara, Padre Flávio disse que há um atraso de repasses de recursos no montante de R$ 2,5 milhões na UPH da Zona Leste, administrada pela Santa Casa, e de R$ 6 milhões na própria Santa Casa, o que soma cerca de R$ 8,5 milhões. Mas, ao Cruzeiro do Sul, em entrevista nesta sexta, ele disse que os valores em atraso são R$ 2,5 milhões para a UPH e cerca de R$ 4,5 milhões para o hospital. “A situação é difícil, porque estamos com 80 leitos de UTI na Santa Casa. Os 40 leitos de UTI para outras patologias estão com 90% de lotação”, afirmou na reunião.

Já ontem, o padre disse ainda que já teve uma reunião com a prefeita Jaqueline Coutinho (PSL) a respeito dos repasses para a UPH e para o hospital. Segundo ele, a prefeita explicou que boa parte dos recursos que são repassados pelo Executivo à Santa Casa são oriundos de arrecadação própria do município. “A maior parte do valor que chega até a Santa Casa, que é por volta de R$ 5 milhões, é fonte municipal e com o aumento do desemprego, devido à pandemia, alguns munícipes deixaram de pagar impostos municipais, como IPTU e outros. Além disso, com o comércio fechado, a Prefeitura também está recolhendo menos impostos municipais, o que reflete no pagamento dos repasses”, disse.

Padre Flávio afirma ainda que nesse período da pandemia a Prefeitura de Sorocaba deverá ter dificuldades para fazer os pagamentos por conta da queda na arrecadação de impostos municipais. “Porém, os médicos estão sendo pagos em dia, assim como os funcionários. E temos uma reserva muito boa de remédios e de insumos hospitalares, alimentação, material de limpeza, lavanderia. Então, a população não está sofrendo com essa situação e a qualquer momento a Prefeitura irá fazer os pagamentos”, diz. (Ana Cláudia Martins)